Educação Emocional: o que é, como ela ajuda e como desenvolver

Educação Emocional

A educação emocional visa contribuir para que o indivíduo tenha mais desenvolvimento de relações interpessoais e é de suma importância para nossa vida pessoal e profissional. É um método que poderá auxiliar as pessoas no bem-estar da vida cotidiana em que vivemos e lutamos todos os dias.

Também podemos dizer que é uma “estratégia” em que nós seres humanos podemos utilizar de atos diários que complementam o dia a dia de forma pacífica.

Afinal, ser empático e conhecer a si mesmo é entender melhor e se colocar no lugar de outra pessoa para então, expor suas próprias opiniões. Ou seja, os benefícios são mútuos e diretos quando aprendemos a lidar com as emoções pessoais.

O que é educação emocional

A educação emocional, é um processo destacado para o aprimoramento das habilidades cognitivas. Ela vem sendo cada vez mais debatida nas escolas para melhorar o aprendizado das crianças e auxiliá-las na sua formação como indivíduo. 

A importância de desenvolver a educação emocional

As gerações que vieram a partir do ano 2000 ou ditas “Z” são conhecidas pela facilidade com o mundo tecnológico e pela redução no contato e na interação com outras pessoas. 

Este isolamento que tem sido bastante comum em determinadas faixas etárias é somado com certos sentimentos que chegam até as crianças, desde cedo, e que acarretam em doenças psíquicas do nosso tempo.

O reconhecimento atento desses indicadores permite que indivíduos e aqueles ao seu redor compreendam a necessidade de intervir e buscar estratégias de regulação emocional. Esteja atento aos sinais sutis que podem indicar uma sobrecarga emocional, pois a conscientização precoce abre portas para a cura.

Quais os benefícios da Educação Emocional

Além disso, estratégias como a prática regular de mindfulness, exercícios físicos e a expressão artística podem ser poderosos aliados na promoção do equilíbrio emocional. Ao adotar práticas que respeitam e fortalecem a saúde mental, é possível navegar pelas ondas emocionais com maior resiliência e compreensão. Além como a melhora no rendimento escolar; aperfeiçoamento de habilidades intrapessoais e desenvolvimento de relações interpessoais.

Melhoria das habilidades sociais

A prática saudável da educação emocional envolve uma combinação de autoconsciência e técnicas específicas. O primeiro passo é cultivar a habilidade de identificar e nomear as emoções, proporcionando uma base sólida para a gestão emocional. A busca de apoio social, seja através de amigos, familiares ou profissionais, oferece um suporte valioso durante períodos desafiadores. 

Resiliência emocional

Ao explorarmos estratégias e conselhos práticos, buscamos fornecer uma abordagem compassiva para lidar com a dor, permitindo que as emoções fluam de maneira saudável e construtiva. Em meio à complexidade do luto, por exemplo, a resiliência emocional emerge não apenas como uma ferramenta valiosa, mas como uma expressão sincera do autocuidado e da resiliência humana.

Como praticar a educação emocional

Ter momentos de reflexão direcionadas por um professor ou, até mesmo, utilizando aplicativos, caso você faça isso em casa. Dessa maneira, a pessoa é levada a refletir sobre os seus comportamentos diante das diversas situações do cotidiano; Fazer dinâmicas, elaborar trabalhos e murais; Colocar os princípios da comunicação não-violenta em prática.

A empatia é um dos principais pilares da educação emocional, pois tem a ver com a habilidade de se colocar no lugar do outro. O desenvolvimento dessa competência possibilitará que a sua criança se torne um adulto tolerante, que sabe conviver com pessoas diversas.

Como identificar um pedido de ajuda

pedido de ajuda

Vivemos em um mundo onde os desafios psicológicos afetam pessoas de todas as idades, origens e contextos. Diante de tamanho desafio relacionado às emoções, muitas vezes é difícil perceber quando alguém próximo está atravessando um momento de crise emocional e precisa de ajuda. Sabendo disso, decidimos escrever esse conteúdo para auxiliar as pessoas a conseguir discernir e identificar sinais sutis que indicam um pedido de ajuda.

A necessidade de compreender e abordar questões psicológicas nunca foi tão presente. Mudanças rápidas na sociedade, pressões cotidianas e desafios individuais podem criar um ambiente propício para o surgimento de problemas emocionais. No entanto, muitas vezes, aqueles que precisam de apoio não conseguem expressar abertamente suas dificuldades. É nesse contexto que a capacidade de identificar sinais não verbais e comportamentais se torna vital.

Este guia não apenas destaca os indicadores mais comuns de angústia psicológica, mas também fornece orientações sobre como abordar essas situações com empatia e sensibilidade. Ao reconhecer a importância da prevenção e da intervenção atempada, podemos desempenhar um papel significativo na construção de comunidades mais saudáveis e compassivas.

Qual a importância de pedir ajuda? 

Para falar de um assunto tão delicado, antes é preciso falar de quem está na situação, ou seja, que precisa dessa ajuda. Em meio aos desafios da vida, a ideia de pedir ajuda pode, por vezes, ser envolta em hesitação e resistência. No entanto, é fundamental compreender a profunda importância desse ato corajoso. 

O simples gesto de buscar apoio não apenas alivia o peso emocional individual, mas também desencadeia uma série de benefícios que reverberam em todos os aspectos da saúde mental e bem-estar.

Em resumo, pedir ajuda é um ato de autocompaixão e autoempoderamento. É reconhecer que merecemos suporte e que a jornada para o equilíbrio emocional não precisa ser percorrida sozinha. Ao quebrar o estigma associado ao pedido de ajuda, cultivamos uma cultura de apoio mútuo, construindo comunidades mais resilientes e compassivas.

Por que pedir ajuda nem sempre é fácil

Embora buscar ajuda seja fundamental para o bem-estar emocional, a realidade é que o ato de pedir apoio muitas vezes se depara com obstáculos significativos. Entender por que pedir ajuda nem sempre é fácil é essencial para abordar as barreiras que podem impedir indivíduos de alcançarem o suporte necessário. 

Na sequência vamos explorar algumas razões comuns que tornam esse passo desafiador.

  • Estigma Social: O estigma em torno das questões de saúde mental persiste, contribuindo para a relutância em buscar ajuda. O medo do julgamento e da incompreensão pode levar as pessoas a manterem seus desafios ocultos, perpetuando um ciclo de isolamento.
  • Cultura do “Dever Ser Forte”: Algumas culturas enfatizam a ideia de força inabalável, o que pode criar pressões para que as pessoas escondam suas vulnerabilidades. O mito de que pedir ajuda é um sinal de fraqueza pode impedir indivíduos de compartilhar suas lutas.
  • Vulnerabilidade Percebida: Pedir ajuda muitas vezes requer abrir-se e expor aspectos vulneráveis de si mesmo. O medo de parecer frágil ou incapaz pode desencorajar as pessoas a compartilharem seus desafios, mesmo com aqueles mais próximos.
  • Desconhecimento sobre Recursos Disponíveis: A falta de conhecimento sobre os recursos disponíveis para apoio pode ser um obstáculo significativo. A falta de informação sobre profissionais de saúde mental, linhas de apoio e serviços comunitários pode levar à inércia na busca de ajuda.
  • Experiências Passadas Negativas: Experiências passadas de rejeição ou falta de apoio ao buscar ajuda podem deixar cicatrizes emocionais profundas. O receio de repetir tais experiências pode criar resistência em tentar novamente.
  • Negligência: Não são todas as pessoas que possuem um autocuidado apurado, e por conta disso, acabam sendo negligentes consigo mesmo, isso acaba fazendo com que ignorem os problemas e dores que sentem. Em alguns casos, as pessoas acreditam que é ‘só uma fase’ e que logo irá passar, só que não são todos os casos que isso acontece.
  • Percepção de Incompreensão: O receio de que os outros não compreenderão verdadeiramente a complexidade das lutas emocionais pode desencorajar o compartilhamento aberto. A falta de empatia percebida pode ser um bloqueio para buscar ajuda.

Ao abordar essas razões subjacentes, podemos começar a desmantelar as barreiras que dificultam o ato de pedir ajuda. A construção de uma cultura de compreensão, aceitação e apoio é crucial para incentivar a busca por assistência, promovendo a saúde mental e o bem-estar geral.

Como identificar um pedido de ajuda de outra pessoa

Entender quando alguém precisa de ajuda é crucial para oferecer apoio. Fique atento a sinais como mudanças corporais e comportamentais. Ao estar atento a esses sinais, podemos criar um ambiente mais solidário e contribuir para o bem-estar emocional daqueles ao nosso redor.

Veja abaixo algumas maneiras para conseguir identificar um possível pedido de ajuda:

Sinais Corporais

  • Postura corporal retraída ou tensa.
  • Expressões faciais consistentemente tristes ou preocupadas.
  • Mudanças no apetite e sono.

Mudanças de Comportamento

  • Isolamento social e evitação de interações.
  • Desinteresse em atividades que costumavam ser apreciadas.
  • Dificuldade em manter o desempenho no trabalho ou nos estudos.

Expressões Verbais e Não Verbais

  • Comentários diretos ou indiretos sobre desespero ou falta de esperança.
  • Uso de linguagem que sugira um pedido de ajuda.
  • Isolamento digital, reduzindo a presença online.

Reação de Terceiros:

  • Amigos ou familiares expressando preocupação.
  • Observação de mudanças por pessoas próximas.
  • Levar a sério ofertas de ajuda ou conversas sobre emoções.

Pedidos de ajuda indiretos podem não ser efetivos

Muitas vezes, as pessoas que precisam de ajuda podem expressar suas necessidades de maneira indireta. Compreender os desafios associados a pedidos de ajuda sutis é essencial para oferecer apoio eficaz. Alguns pontos a serem considerados incluem:

Comunicação Não-Verbal

  • Sinais de desconforto ou tristeza na expressão facial e postura corporal.
  • Mudanças no padrão de sono e apetite.

Expressões Verbais

  • Comentários vagos ou ambíguos que sugerem angústia.
  • Uso de linguagem que indica um pedido de ajuda, mas não de maneira explícita.

Reconhecimento Sensível

  • Estar atento a pistas emocionais e comportamentais.
  • Abordar a situação com delicadeza, oferecendo apoio sem pressionar.

E quem ajuda também precisa ser ajudado

No ciclo de apoio emocional, é fundamental reconhecer que aqueles que oferecem ajuda também têm suas necessidades. Abraçar a ideia de que quem apoia também precisa ser apoiado é crucial para garantir uma rede de suporte saudável. 

Entender que todos, independentemente de oferecerem ou receberem ajuda, fazem parte de um ecossistema emocional é fundamental para promover o bem-estar de todos os envolvidos.

Existe vida após a morte? Veja o que as religiões dizem

Existe vida após a morte

Ao falarmos se existe vida após a morte é entrar num complexo debate que vai envolver a ciência e também a vida religiosa/espiritual daqueles que creem. 

Durante toda a história, culturas e religiões têm buscado encontrar respostas para questões da vida após a morte. Até mesmo a ciência tem as suas próprias teorias.

O mais importante é escolher aquela explicação que lhe pareça mais verdadeira e ter fé de que, após a morte, uma vida melhor nos aguardará. Vejamos abaixo alguns pontos que poderão trazer algumas respostas.

O que diz a ciência sobre a vida após a morte?

Duas coisas são certas quando falamos na existência dos seres humanos: a primeira é o nascimento e a segunda é a morte. Mas para muitos é uma passagem para um “ novo eu” ou “novo nós”, vai daqueles que acreditam e esperam por esses momentos “ditos particulares”.

Mas quando colocamos a ciência dentro desse paradigma que é o assunto “existe vida após a morte” é algo bastante complexo até mesmo para dentro das academias ou profissionais que tiveram “algum tipo de experiência” que trouxesse a reflexão para as rodas de conversa no dia a dia.

De acordo com a ciência, essas sensações têm explicações neuroquímicas e não em planos espirituais. Os médicos costumam explicar tais relatos como consequência da falta de oxigenação do cérebro, que provoca alucinações. Será mesmo? 

H3: Existe o embate entre ciência e religião?

Não existem ainda comprovações, apenas alguns debates que causam choque quando colocamos a religião e ciência no mesmo patamar. Mas a vida após a morte é um tema muito debatido, inclusive pela ciência. Mesmo que ainda não existam comprovações, apenas teorias, baseadas principalmente em relatos de pessoas que passaram por uma experiência de quase morte.

Geralmente, essas vivências possuem pontos parecidos, tais como: Presença de uma luz intensa; Presença de um túnel; Sensação de estar fora do corpo, vendo os acontecimentos de fora; Reencontro com pessoas que já faleceram.

H2: E o que dizem as religiões?

As religiões se contradizem sobre o “para onde iremos”. O que se sabe é que existem lugares denominados como Céu, inferno, purgatório e reencarnação: são várias as possibilidades, dependendo da crença. A fé seria capaz de auxiliar, tanto as pessoas que estão passando por períodos complicados de doença, quanto aquelas que estão lidando com a perda e a morte recente de entes queridos.

Catolicismo

O catolicismo faz parte do cristianismo que dentro dos seus dogmas é destacado que as pessoas irão para o céu, inferno e purgatório – e a ida para cada um desses lugares depende das ações que você teve em vida. Contudo, a alma é eterna e única. 

Espiritismo

Os espíritas acreditam que a morte não tem fim e que as pessoas vão reencarnar conforme suas ações em vida. Os espíritas creem na eternidade da alma e na existência de Deus, mas não como um ser criador de pessoas más ou boas. 

Protestantismo

Já os evangélicos, também acreditam no Juízo Final onde todas as almas serão julgadas e Deus decidirá quem poderá ir para o céu e para o inferno. A diferença em relação ao catolicismo é que, para os evangélicos, depois da morte, a alma inicia uma grande viagem e a ressurreição apenas acontecerá no dia em que Jesus voltar à Terra.

Judaísmo

Os judeus creem na sobrevivência da alma, mas não possuem um relato definido sobre o que acontece depois da morte e nem mesmo se a vida após a morte existe. Essa é uma religião que permite múltiplas interpretações.

Umbanda

A religião que é brasileira destaca a reencarnação. Para ela, quando morremos, podemos ir para sete locais diferentes, pois, para os umbandistas, o universo é composto por sete linhas, regidas por entidades divinas, os orixás.

Islamismo

Os islamitas acreditam que o mundo foi criado por Alá (Deus) e ele trará de volta à vida todos os que morreram no último dia, quando as pessoas serão julgadas e uma nova vida terá início após a avaliação divina.

Candomblé

O candomblé é uma religião praticada no Brasil, assim como a Umbanda, e é de matriz africana. Na religião, as almas precisam cumprir o seu destino e, após o término do seu período na Terra, se esse objetivo não for alcançado, elas vagam entre o céu e a terra até se tornarem seres eternos e conscientes.

Hinduísmo

O hinduísmo é muito praticado na Índia e Paquistão, na Ásia. Para os adeptos, uma pessoa morre e o seu corpo é levado pelos parentes até o Rio Ganges, onde ele é cremado. Os indianos creem que a pessoa não é o corpo físico, mas sim a alma – e essa, depois que o corpo físico morre, parte rumo a outra dimensão.

Budismo

Também bastante praticado em toda a Ásia, o budismo, entende a morte e renascimento como algo que se mantém até que o espírito consiga se libertar do carma, que é a marca deixada pelas ações e que estabelece uma lei de causa e efeito.

Tradição de família: importância e como manter

Em um mundo em constante transformação, as tradições familiares permanecem como pilares que unem gerações, criando laços de significado e pertencimento. A expressão “Tradição de Família” transcende o tempo, encapsulando valores transmitidos de pais para filhos, avós para netos.

Sabendo disso, decidimos escrever este guia para explorar a riqueza e importância das tradições familiares, destacando como esses rituais atemporais não apenas fortalecem os laços familiares, mas também preservam a identidade e a herança cultural.

Ao mergulharmos nas raízes de práticas que resistem às mudanças, convidamos as famílias a cultivarem e perpetuarem suas tradições, criando um legado de conexão e resiliência que atravessa as eras.

O que é a tradição de família?

A tradição de família é mais do que uma mera sucessão de eventos ou rituais; é um elo intangível que une gerações, transmitindo valores, crenças e memórias de maneira única. Essa herança cultural, expressa através de práticas, celebrações e histórias compartilhadas, cria uma tapeçaria viva que conecta familiares, independentemente das mudanças externas. É a manifestação tangível do legado familiar, refletindo o passado, vivendo no presente e orientando o futuro.

Qual a importância da tradição familiar?

A importância da tradição familiar reside na sua capacidade de oferecer estabilidade emocional, construir um senso de identidade e fortalecer os laços afetivos entre os membros da família. Ao estabelecer rituais familiares, desde celebrações sazonais até pequenos gestos cotidianos, as tradições criam uma estrutura que ajuda a enfrentar os desafios da vida. 

Além disso, elas funcionam como um fio condutor que conecta diferentes gerações, preservando histórias, valores e conexões que, de outra forma, poderiam se perder no curso do tempo. A tradição familiar é, portanto, uma âncora que ancora as famílias, proporcionando uma base sólida para enfrentar as vicissitudes da vida.

Como criar uma tradição de família?

Criar uma tradição familiar é um ato de intencionalidade e criatividade, onde a autenticidade e a participação de todos os membros são fundamentais. Inicie identificando valores e interesses comuns, buscando inspiração em eventos especiais, histórias familiares ou atividades que ressoem com todos. 

Seja a elaboração de uma receita de família, a celebração de datas significativas ou a criação de rituais únicos, a chave está na personalização e na inclusão de todos os envolvidos. O processo criativo é tão valioso quanto o resultado, e a flexibilidade é essencial para permitir que a tradição evolua organicamente ao longo do tempo.

E como manter? 

Manter uma tradição de família requer comprometimento e adaptação contínua, abaixo segue uma relação básica do que é preciso para manter uma tradição familiar. 

  • Comunique a importância da tradição aos membros da família, incentivando a participação e a transmissão de responsabilidades ao longo das gerações. 
  • Esteja aberto a ajustes, reconhecendo que as famílias mudam e crescem. 
  • Documentar a tradição, seja por meio de fotos, vídeos ou histórias compartilhadas, também ajuda a preservar sua essência. 
  • Celebrar regularmente a tradição, mesmo nas circunstâncias mais simples, reforça seu significado e assegura que ela permaneça viva no coração da família.

Exemplos de tradição de família

Exemplificar tradições familiares pode inspirar a criação de novos rituais significativos. Porém, já existem algumas tradições familiares que são comuns, veja abaixo as principais: 

  • Fazer uma Refeição Juntos: compartilhar momentos ao redor da mesa vai além da alimentação; é uma tradição que fortalece os laços familiares, proporcionando espaço para conversas e conexões significativas.
  • Cuidar de um Animal de Estimação: a responsabilidade compartilhada de cuidar de um animal não só ensina valores como cuidado e comprometimento, mas também cria laços afetivos profundos, enriquecendo a experiência familiar.
  • Planejar Passeios aos Finais de Semana: explorar juntos novos lugares e atividades nos fins de semana não apenas oferece diversão, mas também cria memórias compartilhadas, fortalecendo a união familiar.
  • Comemorar Aniversários: celebrar os aniversários de cada membro da família é uma tradição que reconhece a singularidade de cada indivíduo, fortalecendo os laços familiares e criando momentos especiais.
  • Planejar Viagens Periódicas: viajar regularmente como família não apenas proporciona experiências emocionantes, mas também promove a exploração conjunta e o fortalecimento dos vínculos familiares.
  • Criar Reuniões de Família: estabelecer encontros regulares proporciona um espaço para discussões importantes, reflexões sobre o passado e a construção contínua de uma herança familiar coesa e significativa.

Sentimentos Negativos: quais são e como lidar

Sentimentos Negativos

A prática saudável de entender os sentimentos negativos que nos envolvem, é uma combinação de autoconsciência e técnicas específicas.

O primeiro passo é cultivar a habilidade de identificar e nomear as emoções, proporcionando uma base sólida para a gestão emocional. A busca de apoio social, seja através de amigos, familiares ou profissionais, oferece um suporte valioso durante períodos desafiadores.

O autoconhecimento permite que nós seres humanos façamos uma leitura diária de nossos pensamentos e comportamentos dentro ou fora de nossas casas. Portanto, cuide-se mais!

Quais são os sentimentos e emoções negativas?

É um equilíbrio delicado entre permitir a expressão genuína de sentimentos e, simultaneamente, cultivar a estabilidade emocional necessária para enfrentar as adversidades da vida. Ao entender as nuances dessa habilidade, podemos abrir caminho para uma jornada de cura e crescimento pessoal que vai depender muito da pessoa ou paciente em tratamento.

Quais os efeitos dos sentimentos negativos na nossa vida?

A identificação dos sentimentos negativos é uma etapa crucial no caminho para o autocuidado. Afinal, ela se manifesta através de sinais variados, como flutuações extremas de humor, insônia, isolamento social ou comportamentos impulsivos. 

Como lidar com sentimentos negativos

O reconhecimento atento desses indicadores permite que indivíduos e aqueles ao seu redor compreendam a necessidade de intervir e buscar estratégias de regulação emocional para o seu dia a dia no decorrer do ano.

Pare e respire

A respiração consciente é uma ferramenta poderosa. Praticar técnicas de respiração ajuda a acalmar o sistema nervoso, promovendo equilíbrio emocional.

Faça meditação

Além disso, estratégias como a prática regular de mindfulness (meditação), exercícios físicos e a expressão artística podem ser poderosos aliados na promoção do equilíbrio emocional. Ao adotar práticas que respeitam e fortalecem a saúde mental, é possível navegar pelas ondas emocionais com maior resiliência e compreensão.

Crie o hábito de fazer pausas durante o dia

Além desse benefício, organizar breves pausas no seu dia promove um relaxamento necessário ao corpo e à mente. Pessoas que contam com esses instantes preciosos no meio da rotina estão mais bem preparadas para identificarem e lidarem com suas emoções.

Se necessário, busque apoio profissional

Buscar orientação de profissionais de saúde mental oferece suporte especializado, proporcionando ferramentas e estratégias personalizadas para a regulação emocional.

Velório Online: o que é e como funciona

velório online

Em um mundo cada vez mais conectado, a tecnologia tem permeado todos os aspectos da vida, inclusive na maneira como lidamos com eventos delicados, como os momentos de luto. Porém, apesar da dor de quem fica, o Velório Online emerge como uma inovação sensível, proporcionando uma forma única de compartilhar lembranças e prestar homenagens àqueles que partiram. 

Neste artigo, mergulharemos no significado e funcionamento do Velório Online, explorando como essa ferramenta contemporânea oferece conforto e suporte durante períodos desafiadores. Acompanhe-nos nesta jornada pela interseção da tecnologia e compaixão.

O que é um velório online?

O Velório Online representa uma adaptação moderna do tradicional ritual de despedida. Essa inovadora prática permite que familiares e amigos participem de maneira remota nos momentos de luto, superando barreiras geográficas e proporcionando uma experiência mais inclusiva. 

Seja por limitações de presença física, como as impostas por eventos globais, ou pela necessidade de acolher aqueles que estão distantes, o Velório Online é uma resposta contemporânea às demandas da sociedade conectada.

Como funciona um velório online?

O funcionamento de um Velório Online envolve a transmissão ao vivo do serviço funerário por meio de plataformas digitais dedicadas. Familiares e amigos podem assistir, participar e compartilhar mensagens de apoio virtualmente. Fotos, vídeos e memórias podem ser compartilhados em tempo real, proporcionando um espaço digital para a expressão coletiva do pesar. 

Essa abordagem inovadora não apenas quebra as barreiras físicas, mas também oferece uma alternativa para momentos em que a presença pessoal pode ser desafiadora. O Velório Online, assim, emerge como uma ponte entre a tradição e a tecnologia, conectando corações em um ambiente virtual de compaixão.

Quais as vantagens de um velório online?

A evolução da tecnologia tem moldado não apenas a forma como vivemos, mas também como enfrentamos momentos difíceis, como o luto. O Velório Online apresenta uma série de vantagens notáveis, adaptando-se às necessidades contemporâneas e superando limitações tradicionais.

  • Acessibilidade Global: Um Velório Online transcende as fronteiras geográficas, permitindo que entes queridos participem do luto, independentemente da sua localização. Familiares que estão distantes ou impossibilitados de viajar podem compartilhar da experiência e expressar suas condolências.
  • Flexibilidade de Participação: A transmissão digital oferece flexibilidade no horário, permitindo que amigos e familiares assistam ao serviço funerário ao vivo ou posteriormente, conforme sua conveniência. Isso cria um ambiente inclusivo, onde todos podem se envolver de acordo com sua disponibilidade.
  • Compartilhamento de Memórias: A plataforma online permite que fotos, vídeos e memórias sejam compartilhados em tempo real. Esse aspecto colaborativo fortalece o sentido de comunidade durante o luto, oferecendo uma oportunidade para celebrar a vida da pessoa falecida.
  • Redução de Custos: Para aqueles que enfrentam limitações financeiras ou desafios logísticos, o Velório Online oferece uma alternativa mais acessível. Elimina a necessidade de custos relacionados a viagens e acomodações, proporcionando uma experiência menos estressante em momentos já desafiadores.

O Velório Online Metropax

Atento a todos os tipos de inovações, a Metropax oferece o Velório Online como parte de seus serviços. Com um compromisso contínuo com a compaixão e apoio às famílias enlutadas, o Velório Online Metropax busca proporcionar uma experiência mais inclusiva e significativa, honrando a memória dos entes queridos de maneira adaptativa aos tempos modernos.

Ao escolher nossos planos, você não apenas garante o respeito e a dedicação que são marcas registradas da Metropax, mas também tem acesso ao Velório Online. Acreditamos que, ao lidar com o luto, a tecnologia pode ser uma aliada valiosa, conectando corações e compartilhando memórias de maneiras que transcendem a distância física. 

Descubra como nossos planos podem oferecer não apenas tranquilidade em momentos difíceis, mas também uma experiência memorial significativa e única.

 

Serviços Funerários para Pet: o que é e como funciona

Serviços Funerários para Pet

Os serviços funerários para pet ou ter um animal de estimação é uma realidade há anos nos lares brasileiros. Com a evolução do tema, tudo poderá estar sendo cuidado da melhor maneira possível até mesmo na dor do adeus. Quando falamos em cuidar dos bichinhos é uma forma de trazer mais respeito até mesmo quando nos despedimos.

Confira abaixo alguns pontos que separamos sobre como é lidar com o luto pelos animais e o quanto isso é importante para dentro das casas das pessoas que amam ter animais domésticos. Afinal, ter um companheiro de duas ou quatro patas é também amar ao próximo.

O que são serviços funerários para pets

Sabemos que a perda de um pet gera dor e sofrimento na família, e para isso são necessárias ações que envolvam o enterro no cemitério de animais que é nada mais que um local onde ficam sepultados os pets e a aceitação da espécie pode variar conforme determinação de cada empresa.

Se for pelo serviço municipal os protocolos tendem a ser mais burocráticos e caros, podendo chegar inclusive até R$ 3 mil dependendo da região. Se optar pela Metropax, por exemplo, o serviço está incluso para mais comodidade a remoção e cremação do pet.

Cremação de Pets

A família poderá optar também pela cremação do animal em que as cinzas ficam dentro de urnas apropriadas na entrega ao tutor. No caso de optar pela cremação coletiva não existem recursos para guardar as cinzas separadas, mas é algo também bastante comum na hora de se despedir.

Vale ressaltar que os custos de uma cremação não incluídos em planos funerários para os animais, geram débitos de R$ 600 até R$ 3 mil. Fica mais esclarecido que possuir um plano é mais barato do que cair na “surpresa” de contratar um serviço de última hora que poderá apertar o bolso.

Sepultamento

Independente da religião ou não, é importante fazer um ritual. Honrar as pessoas ou animais de estimação que se foram durante o luto é viver em paz consigo mesmo. É recordar os bons momentos que tiveram juntos.

Homenagens e cerimônias

Todos os dias quando acariciamos um cachorro, por exemplo, é um ato de bons sentimentos.  O animal sente, percebe, gosta e tem prazer em ficar ao lado do seu dono. Cada espécie possui hábitos diferentes, mas eles também interagem com o ser humano de maneira prazerosa, à sua maneira.

No enterro para pet é também uma realidade que muitas pessoas passam e acabam sentindo a necessidade de buscar meios que possam trazer mais dignidade e respeito ao companheiro de quatro patas que se foi. 

Por exemplo, fotos, brinquedos, desenhos, vídeos que façam sentido para se lembrar do animal preferido.

A Gerente de Acolhimento

O luto é um processo particular na vida de qualquer pessoa. E o luto pelos animais também envolve sentimentos. Quando uma pessoa perde um cachorro, por exemplo, ele é visto inclusive como membro da família. Algo perfeitamente natural, ainda mais no século 21 em que as pessoas tendem a ficar mais reclusas em suas casas por vários motivos.

Dessa forma, vai de cada pessoa. Sempre será um passo de cada vez todos os dias. É importante que todos saibam passar por essa fase da melhor maneira. Sem pressão ou até mesmo interferências negativas que não vão acrescentar em nada na vida do indivíduo que está vivendo a dor da perda.

Importância do luto por animais de estimação

Relembrar o passado, saudosismo é saudável para todos nós. Olhar as fotos e lembrar dos passeios, almoços e viagens são importantes. Por isso cultive sempre as boas memórias dos seus entes queridos e dos animais de estimação que trouxeram harmonia para dentro de suas casas.

A Metropax

Na Metropax, o cliente terá à disposição opções que vão caber no bolso e trazer mais comodidade e respeito para o companheiro de quatro patas que se foi. Estão inclusos cachorros, gatos, coelhos, pássaros, tartarugas e jabutis.

Entendemos a importância dos laços especiais compartilhados com os animais de estimação. Por isso, garantimos que você tenha o apoio necessário durante esse momento delicado e preserve a memória do seu amado amigo de forma digna e amorosa.

Agora que você entendeu como lidar com o luto por animais de estimação e sua importância, acesse o blog Metropax para mais dicas!

Urna Funerária: o que é, para que serve, quanto custa

urna funerária

Não é fácil lidar com assuntos relacionados à despedida de entes queridos, por isso, é crucial entender os detalhes envolvidos, como o uso de urnas funerárias. Este texto explicará de maneira ampla o que é uma urna funerária, sua funcionalidade, para que serve, diferenças em relação a caixões, seu papel na cremação, e por último, mas não menos importante, os diferentes custos associados. 

Continue conosco para tirar todas as suas dúvidas sobre as Urnas Funerárias.

O que é uma Urna Funerária?

Indo direto ao ponto, uma urna funerária é um recipiente utilizado para armazenar as cinzas de um ente querido após a cremação. Ao contrário dos caixões tradicionais, as urnas funerárias são projetadas para abrigar as cinzas cremadas de maneira digna e respeitosa. 

Como a Urna Funerária funciona? 

A urna funerária desempenha um papel crucial no processo de cremação. Após a incineração do corpo do falecido, as cinzas resultantes são cuidadosamente coletadas e colocadas na urna funerária escolhida pelos familiares. 

Este recipiente serve como um memorial duradouro e simboliza a preservação das memórias do ente querido.

Para que serve a Urna Funerária?

A urna funerária serve como uma homenagem final ao falecido, proporcionando um local seguro e respeitoso para as cinzas serem guardadas. É uma maneira tangível de preservar as cinzas e permite que os familiares decidam o que fazer com elas, seja mantendo-as em casa, enterrando-as em um cemitério, ou dispersando-as em um local significativo.

Qual a diferença entre uma urna funerária e um caixão?

É importante destacar que uma urna funerária e um caixão têm propósitos distintos. Enquanto o caixão é utilizado para o enterro tradicional, a urna funerária é específica para a cremação. Enquanto o caixão abriga o corpo durante o velório e enterro, a urna funerária contém as cinzas cremadas após o processo de cremação.

A Urna na Cremação

No contexto da cremação, a urna desempenha um papel central. Ela não apenas armazena as cinzas, mas também oferece à família a flexibilidade de decidir como deseja lidar com esses restos. 

Algumas urnas são projetadas para serem enterradas, enquanto outras são mais adequadas para serem exibidas em casa. A escolha da urna reflete as preferências e os desejos do falecido e de seus entes queridos.

Tipos de Urna Funerárias

Como falamos anteriormente, existem diversos tipos de urnas funerárias disponíveis, cada uma adaptada para atender a diferentes preferências estéticas e orçamentárias. 

As Urnas funerárias vão desde urnas simples e elegantes até opções personalizadas, o mercado oferece uma ampla gama de escolhas para atender às necessidades específicas de cada família enlutada.

Geralmente as urnas são feitas de materiais como madeira, metal, cerâmica ou biodegradáveis, as urnas funerárias vêm em uma variedade de estilos e tamanhos para atender às preferências e necessidades individuais.

Quanto custa uma urna funerária?

Os custos das urnas funerárias podem variar significativamente com base no material, design e personalização desejados. Urnas mais elaboradas e feitas de materiais nobres podem ter preços mais altos em comparação com opções mais simples e acessíveis. 

Mas lembre-se, é essencial discutir as opções disponíveis com a funerária e considerar o orçamento da família ao escolher uma urna.

A Metropax oferece o serviço de urna funerária

Na busca por oferecer suporte abrangente durante momentos difíceis, a Metropax demonstra seu compromisso ao incluir o serviço de urna funerária em todos os seus planos que envolvem a opção de cremação. 

Compreendendo a importância desse elemento no processo de despedida, a Metropax assegura que as famílias tenham acesso a urnas de qualidade, garantindo não apenas uma despedida respeitosa, mas também a preservação das memórias de seus entes queridos. 

Essa abordagem cuidadosa e inclusiva reflete o comprometimento da Metropax em proporcionar tranquilidade e apoio integral aos seus clientes em um momento tão sensível.

Veja abaixo os melhores planos que cabem no seu bolso de maneira ágil e que trarão mais benefícios na hora de pagar e ser surpresas até mesmo na hora de se despedir de uma pessoa querida. 

  • Valorize Único: O plano é a partir de R$ 34,90 mensais com taxa de adesão em R$ 39,90, somados com atendimento 24h, coroa de flores e arranjo, traslados de até 500km, cerimonial, carência de 90 dias e outros. Bem-estar e economia na hora da real necessidade. 
  • Valorize Flex: Os valores estão a partir de R$ 36,90 com a taxa de adesão em R$ 39,90, incluso ornamentação, abrangência estadual em 1000km, cerimônia de honras, clube de vantagens e outros serviços que visam mais dependentes da família em até 14 pessoas. 
  • Valorize Light: É o plano ideal para cuidar de toda a família e pode agregar mais um dependente sem grau de parentesco. Está incluso lembrancinhas de luto de maneira impressa ou digital, buffet, tanatopraxia, taxas de cemitérios inclusas e outras opções. O pacote fica a partir de R$ 44,90 com taxa de R$ 39,90. 
  • Valorize Premium: É o plano completo para englobar família e o pet de estimação. Podendo inclusive colocar mais três dependentes sem grau de parentesco. No plano estão inclusos serviços de cremação, atendimentos 24h, número ilimitado de familiares ao uso, abrangência nacional, carência de 120 dias, traslados de até 2000km e outros. Tudo ficará a partir de R$ 89,90 com taxa de R$39,90.

Se preferir podemos nesse momento direcioná-los ao botão com os quatro planos (Valorize Único, Flex, Light e Premium) que poderão fazer a diferença na sua vida. Os pagamentos são feitos via Pix, Boleto e Cartão de Crédito para mais comodidade das famílias e segurança. A assistência é todos os dias da semana, 24h, para todo acolhimento necessário.

Você pode conhecer nossos planos e identificar qual faz mais sentido para você aqui.

Ano novo é tempo de valorização da vida

ano novo é tempo de valorização da vida

O início de um novo ano é um momento que naturalmente nos leva à reflexão. É um período em que olhamos para trás, avaliamos as experiências vividas, e projetamos nossas esperanças para o futuro. No contexto dessas reflexões, surge a oportunidade de valorizar a vida em todas as suas dimensões. 

No conteúdo a seguir, exploraremos como o ano novo se torna uma época propícia para a apreciação da existência e como a valorização da vida pode ser incorporada em nossas práticas cotidianas.

As reflexões de ano novo

No final de cada ciclo, é comum nos depararmos com pensamentos profundos sobre o que vivemos nos últimos doze meses. Essas reflexões vão além das conquistas e fracassos, abrangendo as relações interpessoais, o crescimento pessoal e as lições aprendidas. 

O ano novo se apresenta como uma tela em branco, convidando-nos a ponderar sobre os caminhos trilhados e a considerar novas direções para o futuro.

Valorizando o que passou no último ano

A valorização da vida começa com o reconhecimento e a gratidão pelo que já vivemos. Cada experiência, seja ela desafiadora ou gratificante, contribui para a nossa jornada e molda a pessoa que nos tornamos. 

Ao valorizar o que passou, cultivamos uma mentalidade positiva, focando nos aspectos construtivos e nas oportunidades de crescimento. Essa atitude não apenas enriquece nossa perspectiva, mas também fortalece a resiliência diante dos desafios que o futuro possa trazer.

Mentalizando boas energias para novo ano

A virada de ano é um momento simbólico que nos permite mentalizar boas energias para os meses que se aproximam. Essa prática envolve a projeção de metas, sonhos e desejos para o novo ciclo. 

Ao visualizar positivamente o futuro, estamos cultivando uma mentalidade otimista que influencia nossas ações diárias. Essa mentalização não é apenas um exercício emocional, mas também uma ferramenta poderosa para criar a realidade que desejamos viver.

A importância da valorização da vida

A valorização da vida não se limita a uma celebração ocasional; é uma prática contínua que envolve o reconhecimento da beleza nos detalhes cotidianos. Valorizar a vida significa apreciar as relações familiares, cultivar amizades saudáveis, buscar o equilíbrio entre trabalho e lazer, e adotar hábitos que promovam o bem-estar físico e mental. 

Essa abordagem holística contribui não apenas para a nossa felicidade individual, mas também para a construção de uma sociedade mais saudável e compassiva. Ao valorizar a vida, reconhecemos a importância de cuidar de nós mesmos e dos outros. Isso envolve a prática da empatia, a promoção da inclusão e a busca por maneiras de contribuir positivamente para o mundo ao nosso redor. 

A valorização da vida não é apenas uma resolução de ano novo, mas um compromisso contínuo com a construção de um presente significativo e a criação de um legado positivo para as gerações futuras.

A Metropax deseja a todos um excelente ano de 2024!

Neste espírito de valorização da vida, a Metropax expressa seus votos calorosos para todos os seus clientes, parceiros e comunidade. Que o ano de 2024 seja repleto de realizações, aprendizados e momentos inesquecíveis. Que cada jornada seja guiada pela busca constante da felicidade e pelo cultivo de relações significativas. A Metropax compromete-se a continuar sendo parte integrante desse caminho, proporcionando soluções que contribuam para uma vida mais plena e satisfatória.

Para finalizar, o ano novo não é apenas uma virada no calendário, mas uma oportunidade de renovar nossas perspectivas e prioridades. Ao refletir sobre o ano que passou, valorizar as experiências vividas, mentalizar boas energias para o futuro e reconhecer a importância da vida em sua totalidade, construímos a base para um 2024 significativo e gratificante. Que este seja um ano de crescimento, prosperidade e, acima de tudo, valorização da vida em todas as suas formas.

Ritos de Passagem em diferentes culturas

Os ritos de passagem são um conceito longo, mas em suma são basicamente celebrações que marcam mudanças de status de uma pessoa no seio de sua comunidade. Os ritos de passagem podem ter caráter social, comunitário ou religioso.

Vai da forma como cada um enxerga e deseja somar de maneira positiva na vida de alguém ou em si próprio. Até mesmo aqueles que faleceram, o legado/rito de passagem é responsável pelo bem-estar ou não de todos que nos cercam.

É uma ação que pode ser positiva ou negativa. Na história da humanidade, os ritos contribuíram ou danificaram as gerações futuras. Continue conosco que destacaremos o conceito e o quanto essa ação faz sentido na vida.

O que são ritos de passagem?

Os ritos de passagem nem sempre estão associados à morte, mas podem ocorrer também em vida. É basicamente a existência dos sentimentos dentro de um lar onde pessoas tendem a se confraternizar fazendo coisas importantes na vida.

Solenizar acontecimentos que nos auxiliem na percepção de quanto um ambiente cheio de afeto e bênçãos traz acolhimento e cuida da gente.

Quais são os tipos de ritos que existem?

Estudiosos sobre o tema destacaram algumas tipologias de ritos que fazem parte dos eventos cotidianos dos seres humanos dentro das mais plurais sociedades, com a pretensão de evidenciar as diferenças entre as consequências sociais expressivas e latentes, bem como as formas culturais consolidadas em cada tipo. Vejamos algumas delas abaixo.

Ritos de Degradação

É conhecido por dissolver identidades sociais e retirar seu poder, como nos casos de demissão, afastamento de alto executivo, “encostar” alguém, denunciar falhas ou incompetências publicamente etc.

Ritos de aperfeiçoamento

É feito para celebração pública de resultados positivos, reforço de identidades sociais e seu poder.

Ritos de Renovação

Tem como objetivo renovar as estruturas sociais e aperfeiçoar seu funcionamento, como programas de desenvolvimento organizacional, assistência ao empregado, team building, etc.

Ritos de Redução de Conflitos

São usados para restaurar o equilíbrio em relações sociais perturbadas, reduzindo os níveis de conflitos e agressão, como nos casos de barganha coletiva.

Ritos de Integração

É destacado para encorajar e reviver sentimentos comuns e manter as pessoas comprometidas com o sistema social. Comumente usados nas festas de Natal, rodadas de cerveja, jogos.

A importância dos ritos de passagem

Portanto, ter a família e amigos reunidos para celebrar, jogando conversa fora, rindo, se divertindo e se alimentando, são o verdadeiro alicerce para que qualquer tipo de ritual nos faça bem à alma.